Blog do Intercessor
   
 
 

  Histórico

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




 

 
 



      http://blogdointercessor.blogspot.com/



Escrito por Projeto Cenáculo às 21h30
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

O Blog do intercessor mudou:

http://blogdointercessor.blogspot.com/



Escrito por Projeto Cenáculo às 21h27
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

FAIXAS DE NATAL

E ela deu à luz a o seu filho, enfaixou-o e o deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria”. Lc 2.7

 

 

Em tempo de advento nossos olhos se abrem à possibilidade da descoberta do novo naquilo que já conhecemos. Até os mais rígidos se curvam às riquezas das simbologias do período que refletem percepções, sentimentos e esperanças.

 

Ler e reler a história do nascimento de Jesus torna-se exercício comum, na tentativa de encontrar o incomum. Apenas um detalhe. Um canto, uma manjedoura, uma revelação....algumas faixas.

 

Faixas que envolveram a criança. Seriam de “chita” para revelar sua natureza simples? Seriam de cetim, para revelar sua realeza? Seriam de linho, para revelar seu sacerdócio? De que cor seriam? Brancas, para acolher sua pureza? Prata para deixar transparecer sua missão redentora? Ouro, para manifestar seu futuro eterno, ou vermelho, escarlata, para confirmar sua missão e sacrifico? Afinal, foi com esse fim que ele nasceu!

 

Faixas estavam presentes no início de sua vida. O acolheram, aqueceram...envolveram.

 

Você já fez faixa para receber alguém? Se tivesse que preparar uma faixa pra Jesus nesses dias de Natal, de que tecido seria, que cor teria....o que escreveria?

 

Nós colocaríamos algo como: TE AMO JESUS (PS: Obrigado!)

Que tal encher a árvore, a casa, a Igreja ....as ruas com faixas pra Jesus?!!!!

 

Ministério Toque de Poder

 

 



Escrito por Projeto Cenáculo às 12h32
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Vamos crescer?

“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino”.  I Co 13.11

 

Hoje pela manhã em nossa reunião de oração compartilhava sobre o crescimento. Um tema que tem chamado nossa atenção e movido nosso coração. Precisamos crescer. Uma criança, das presentes, disse claramente: Não quero crescer. Não quero ser adulto. Acho que vocês adultos já nasceram assim.

 

Antes dele chegar havia falado aos presentes que a criança, muitas vezes fala de forma despretensiosa, inconseqüente...mas na sua sinceridade não podemos negar a clareza de nossas próprias limitações.

 

Na hora de citarmos nossos pedidos pessoais ele insistiu: Orem para que eu não cresça....em outras palavras eu lhe respondi: Não posso orar contra o projeto de Deus na sua vida, mas posso orar pela sua mente, para que você possa entender que o projeto Dele pra você é bom.

 

Sai dali pensando que muitas vezes nossas palavras, como igreja, não revelam diretamente esses desejos, mas que eles estão impressos em nossas mentes e se revelam nas ações, ou falta delas. Revelam certa indisposição de crescer.

 

O apóstolo Paulo, falando sobre o tema, diz que é possível ser criança, mas vai chegar o tempo de crescer/amadurecer:

1- quando eu era – há um tempo passado, há um presente, mas a vida caminha pra frente. Há um tempo novo de Deus pra mim. Eu viverei algo novo. Há um futuro;

2- falava como menino – uma fala desconexa e sem profundidade; uma fala que não mede conseqüências, que não investe no propósito, revela infantilidade espiritual;

3- Sentia como menino – a criança não tem dificuldade de expressar sua vontade, mas para ele, ela é o centro. Viver pela própria vontade, sem levar em consideração a vontade de Deus, revela infantilidade espiritual;

4- pensava como menino – a criança não reconhece limites, pensa que pode tudo. Pode correr, pode voar.....pensar que pode todas as coisas, sem considerar a dependência que temos do Senhor, revela infantilidade espiritual;

5- Acabei com as coisas de menino – ninguém pode fazer isso por você. Ninguém vai crescer por você. Você precisa assumir sua parte no cumprimento desse propósito.É preciso querer crescer.

 

E aí, vamos crescer?

 

Soraya de Lima Junker

 

 



Escrito por Projeto Cenáculo às 10h42
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

O/A Intercessor/a e a Paciência

Ora, o Deus de paciência e consolação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo Jesus”. Rm 15.5

 

A vida do/a intercessor/a não está pautada em suas habilidades, mas no Poder de Deus que se aperfeiçoa em suas fraquezas. Ele traz à existência de onde nós não vemos, não no tempo ou da forma que planejamos necessariamente, mas da forma que bem lhe aprouver. Isso requer espera, portanto, paciência é o exercício da fé!

 

Já a impaciência é um termômetro que sinaliza quando alguma coisa não está funcionando bem no nosso organismo espiritual.

 

Hoje fazemos o exercício da não espera. Outro dia me peguei contando mais de uma vez quantas pessoas tinham numa fila de aeroporto, e me inquietei por ver a fila crescer sem nenhuma atitude diferente de quem estava atendendo. Usamos a internet para acessar o banco para não enfrentar fila....fila de padaria, médico, etc...

 

Na Bíblia nós temos exemplos de coisas que aconteceram imediatamente: O fogo de Elias, a cura à porta formosa, do leproso, mas grandes homens e mulheres de Deus também aprenderam o valor da paciência. Histórias que lemos em segundo, sem pausa entre um versículo e outro, mas que levaram anos para se concretizar. Foi preciso esperar.

 

Alguns exemplos clássicos:

1- Abraão tinha 75 anos quando recebeu a promessa do filho. Esse filho veio nascer quando ele já tinha 100 ano. Deus o pede para Abraão, quando o menino tinha 14 anos....Abraão esperou 39 anos para ter seu filho verdadeiramente;

Há quanto tempo estamos orando pelo que queremos ver?

 

2- Jacó tinha 71 anos e ainda era solteiro. Namorou 1 mês, ficou noivo 7 anos e casou com a mulher errada, então esperou mais 7 anos.

Há quanto tempo você espera uma resposta?

 

Que faremos então? Devemos pedir a Deus um coração paciente; Devemos continuar esperando mesmo quando parecer difícil e demorado.

 

Amo vocês

Soraya de Lima Junker

Ministério Toque de Poder

 



Escrito por Projeto Cenáculo às 16h15
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Orar pelo Brasil

“Os que confiam no Senhor serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre”. Sl 125.1

Vivemos dias especiais de busca: Confiar (depositar fé). Está sendo um exercício difícil quando pensamos em homens, mulheres....em eleições e coisas afins.

Em quem confiaremos ou a quem confiaremos a responsabilidade de nos representar?

Olhando para o Senhor, o exercício de confiar se torna fluente. Não só é fácil depositar fé Nele, como confiar a Ele tudo o que temos e sonhamos.

Nesse exercício de confiança, segundo o salmista, somos comparados ao monte Sião....a princípio uma colina que foi conquistando espaço no mapa e se tornando grande (Há espaço a ser conquistado); Um lugar elevado para se ver (é preciso desenvolver uma visão de monte);  o símbolo do cerco e da guarda/vigilância do Deus de Israel(é preciso usufruí-la e ser exemplo: “Monte Sião” vamos vigiar sobre o Israel de Deus.

Nossa sugestão é que tenhamos um tempo de oração pela pátria até o dia das eleições (03/10), queremos sugerir aos intercessores a seguinte direção:

 

“ Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar e buscar a minha face e se converter de seus maus caminhos, então eu ouvirei do céus, perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.”                             2 Cr. 7.14

 

1- “ se o meu povo...” - segundo o dicionário Aurélio, conjunto de indivíduos que falam a mesma língua - OREMOS PELO POVO BRASILEIRO - angústias e expectativas;

2- “ que se chama pelo Meu nome” …Levamos o nome Daquele que nos gerou.  “A todos quantos creram deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus”. Oremos pela Igreja de Jesus Cristo no Brasil;

3- … “Se humilhar, orar e buscar a minha face...” Oremos para que haja um despertamento espiritual no Brasil;

4- “… Se converter dos seus maus caminhos...” Oremos para que haja mudança de direção com propósitos aprovados por Deus no coração dos nossos líderes: Presidente, senadores e deputados federais (oremos pelas eleições);

5- “...então eu ouvirei dos céus...”

Crendo que Deus ouve o clamor do Seu povo, clamemos a Deus pelos desempregados, sem-teto, os que têm fome.

6-  “...perdoarei os seus pecados...” Oremos para que Deus venha perdoar nossos pecados como nação e purificar-nos de toda injustiça. Faça oração de confissão pela nação brasileira;

7- “… E sararei a sua terra...”

Oremos para que Deus venha intervir na nossa história e escrevê-la de novo, pelo seu amor e Sua misericórdia. Que Ele venha compartilhar conosco seus sonhos para a nação brasileira.

 

Soraya de Lima Junker



Escrito por Projeto Cenáculo às 18h24
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

TENSÃO

 

sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.” 2 Rs 2.11

 

Anos atrás quando dava aulas de orientação vocal costumava dizer aos alunos que é preciso manter um certo nível de tensão que nos permita uma resposta rápida, quando solicitada. Nessa direção, lembrei do texto da palavra que diz que a obra do Senhor não pode ser feita relaxadamente, sem atenção devida, e acrescentaria, sem a tensão devida.

 

Pode parecer estranho, mas um certo nível de tensão, que não prejudique nossa capacidade de julgamento, ou nosso estado de bem estar físico, gerando ansiedade, é importante no âmbito das coisas espirituais. Ela nos mantém alerta!!

 

Hoje pela manhã compartilhava com um grupo de irmãos sobre isso a partir da experiência de Elias. Não é estranho que Deus tenha usado um redemoinho para arrebatar Elias? Não parece a nós que o arrebatamento é a conseqüência de uma leveza espiritual que nos eleva o coração e a mente? Mais foi assim que Deus fez, num redemoinho!

 

Elias tinha uma palavra de Deus. Eliseu, que caminhava com ele, também tinha conhecimento disso, a ponto de pedir que ele lhe desse porção dobrada do seu espírito, ao que Elias respondeu: se vires, receberás. Elias estava ensinado seu discípulo a viver profeticamente: É preciso manter os olhos fixos em Deus crendo na possibilidade de sua intervenção, ainda que num redemoinho, pois é possível Ele agir sobrenaturalmente diante do natural. Deus tem poder para interferir em sua luta, em sua vida, ainda que em meio a um redemoinho.

 

É preciso viver continuamente a expectativa da Glória de Deus. Não importa o tamanho do levante, não importa o tamanho da dor e da dificuldade, mantenha um certo nível de tensão espiritual. Mantenha-se alerta, alimente em seu coração a expectativa da Glória de Deus que pode fazer algo extraordinário a qualquer momento.

 

Isso é tremendo! Intercessor/a, se você se sente envolvido em um turbilhão de ventos contrários, parece que o mundo vai desabar em cima de sua cabeça, parece não ter fundo de poço....mantenha um nível de “tensão espiritual” que alimente em seu coração a expectativa da Glória. Deus pode fazer um milagre agora!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

Seja assim sobre você.

 



Escrito por Projeto Cenáculo às 15h39
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Você já realizou o sonho de alguém?

Mateus 1. 18-25

 

Comemoramos ontem o dia dos pais. Identificamo-nos com suas lutas e anseios, porque como “pais”, vivemos a luta contínua de realização dos mais variados sonhos dos nossos filhos. Sentimos-nos responsáveis. Mas como é difícil cumprir tamanha tarefa. Agora reflita comigo que, se cumprir sonhos humanos, limitados como nós, é tão difícil, o que dizer dos sonhos de Deus?!!!!!

 

Quero partilhar com você sobre um homem que cumpriu o sonho de Deus: José, marido de maria. “Pai” de Jesus. Cujo nome significa = Javé acrescente filhos.

 

A Bíblia é um diário de registros inspirados pelo Espírito Santo sobre sonhos de Deus partilhados com homens e mulheres no decorrer da história. A maioria deles com começo, meio e fim, mas a história de José tem começo, mas não registra o fim. O mais longe que ele aparece é aos 12 anos de Jesus, porém, sua história apresenta o compromisso que ele assumiu com o sonho de Deus.

 

Estava comprometido, ainda não casado e de repente sua noiva aparece grávida, e para não difama-la resolve fugir, porem recebeu em sonho.....o sonho de Deus! E revelou-se:

 

1-      Comprometido – sua figura nos faz pensar o nível de compromisso=envolvimento com o plano/projeto/sonho, e o comprometimento= envolvimento com o processo de realização do mesmo. José comprometeu sua honra, sua família, seu tempo e seus planos para ver cumprido o sonho de Deus.

2-      Guardião - José sabia que ele não havia gerado aquele menino, mas portou-se como um guardião. Cuidou, vigiou, investiu. Nossos filhos são do Senhor, e nós somos guardiões de promessas, de sonhos revelados de Deus;

3-      Validou – José deu sobrenome à criança. Jesus era reconhecido como filho de José, o carpinteiro. José validou o sonho de Deus. Assinou embaixo. Assumiu como seu.

 

Amados e amadas Identificamo-nos com Pais, nesse dia dos pais, porque como intercessores, Deus nos chama para gerar filhos espirituais. Nos chama para guardar, vigiar e adotar os seus sonhos como sendo nossos.

 

Amo vocês.

 

Especial aos pais http://www.youtube.com/watch?v=Kt1Izjm6G6Y

 

Soraya de Lima Junker



Escrito por Projeto Cenáculo às 19h30
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Intercessão - Um movimento de cooperação

 

 

“...seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu...” Mt 6.10

 

Intercessão é um movimento de cooperação com o céu, numa atitude de concordância, para que a vontade de Deus seja feita assim na terra como no céu; numa disposição de quebrar o jugo, as cadeias e correntes, a fim de que haja fruto visível da unção do Espírito de Deus; no entendimento de que nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra as hostes espirituais do mal, combatendo toda e qualquer fortaleza de incredulidade e engano.

 

Nos mais diversos relatos bíblicos há registros de homens e mulheres que experimentaram o Poder de Deus que age enquanto oramos intercessoriamente:

- Abraão viu Deus livrar os seus quando intercedeu antes da destruição de Sodoma e Gomorra;

- Moisés, tendo orado, viu Deus manifestar o Seu poder nas mais diferentes circunstâncias, derramando maná, fazendo brotar água da Rocha, curando a lepra de sua irmã e muito mais;

- Ester, tendo orado e jejuado, experimentou com seu povo o livramento de Deus;

- Sansão teve sua força restituída no fim da vida, depois de orar;

- Ananias viu Deus restituir a visão a Paulo e levanta-lo de forma extraordinária como obreiro. “Um encontro transformador com Jesus, seguido de uma cobertura de oração intercessória gera homens e mulheres comprometidos com o Reino.”

 

Interceder é ser parte do movimento do céu que se manifesta na terra.

 

Quer aprender mais?....Venha fazer a Escola de Ad-Oração e seja instruído/a e edificado/a.

 

Saiba como: http://3re.metodista.org.br/conteudo.xhtml?c=9641

 

Soraya de Lima Junker

Ministério Toque de Poder



Escrito por Projeto Cenáculo às 22h40
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Oração - ânimo ou desânimo?

 

 

“Findam-se as orações de Davi, filho de Jessé” Sl 72.20

 

O livro de salmos registra na Bíblia a expressividade de Davi e sua vida de oração e adoração, sua experiência de dependência, confissão, arrependimento, luta, perseguição e muito mais. Estão registradas para crescimento de todos os que buscam na Bíblia o norte para a sua caminhada.

 

A citação “findam-se as orações de Davi”, atribui a ele os salmos escritos até aquele, iniciando uma coleção de salmo de Asafe e seus filhos. Não falam de uma desistência do exercício de oração. Hoje, porém, há muitos motivos que nos desanimam ou animam a orar.

 

O que nos desanima?

- O exercício de oração como desempenho religioso; como mostra de santidade, sem intimidade.

- O exercício de oração que não revela a verdade. É falar mecânico como o de alguém que está tão acostumado a orar pela alimentação, sem pensar, que senta no banco antes do inicio do culto e ora pela alimentação; oração sem envolvimento.

- O exercício de oração que não traz resposta, afinal, orar não é apresentar uma lista de necessidades a serem supridas, é ser suprido pela riqueza em glória, que se manifesta nas coisas naturais e espirituais.

 

“...por isso o teu servo se animou a fazer-te esta oração” (2 Sm 7.27)

 

O que nos anima?

- O caráter de Deus – Davi, em atitude de ações de graças pela promessa de um reino que não teria fim, declara: Grandíssimo és, Senhor Deus, não há semelhante a ti..... Se reconhecermos que orar é dividir a vida com Deus, seu caráter é suficiente motivador: Presente, longânimo, paciente, misericordioso....é animador dividir a vida com “alguém” tão extraordinário.

- Suas promessas são mais que palavras. Davi reconhece que Israel era só um povo, mas Deus os tornou Seu povo; Sua casa era apenas mais uma de Israel, mas Deus os chamou; Ele era só mais um jovem de sua casa, mas Deus o escolheu, ungiu e firmou com ele uma aliança eterna. Suas promessas são dádivas liberadas.

 

Amado intercessor/a, ore, não só porque você é (crente, religioso, embrião de santo, etc...) mas porque Deus É!!!! O Alvo, a motivação, o amado....anime-se!!!!!!!!!!!!!

 

 

Soraya de Lima Junker

Ministério Toque de Poder

 



Escrito por Projeto Cenáculo às 15h28
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Escolha o melhor

Jonas 1.1-3

 

Vivemos no dia a dia o exercício contínuo de fazer escolhas - decidir. Decidimos o que fazer, quando fazer, se compramos, o que compramos, qual roupa vamos vestir e daí por diante.

 

Como se não fosse suficiente ter que escolher e decidir nossas coisas, como pais, mães, parceiros de vida, ainda ajudamos a outros nas suas escolhas e decisões. Mas o muito exercício não torna necessariamente essa tarefa mais fácil.

 

Olhando a vida de Jonas, profeta menor, que havia recebido uma instrução de Deus para ir a Nínive, mas escolheu ir para Tarsis, percebi que alem de atentarmos para a vontade revelada de Deus, naquilo que ainda não temos clareza devemos tomar alguns cuidados na hora de decidir.

 

1-      Cuidado para não escolher o mais cômodo – temos o costume de nos basearmos naquilo que já vimos, vivemos e experimentamos; naquilo que já sabemos fazer e por isso, muitas vezes deixamos de experimentar o novo;

2-      Cuidado para não escolher o mais fácil – Hoje a grande crise da sociedade é tempo. Uns dizem que tempo é dinheiro, outros que tempo é vida, e nas escolhas opta-se por aquilo que não vai demorar e se lança em projetos imediatistas, que não necessariamente produzirão furtos permanentes;

3-      Cuidado para não optar por aquilo que é simples aos seus olhos – muitas vezes as escolhas se baseiam numa expressão: faço isso com o pé nas costas. Tenho domínio, sei como agir e deixa de aprender algo novo;

4-      Cuidado para não escolher o comum – A escolha da maioria. Você sabe que a voz do povo não é a voz de Deus. Definir sua escolha a partir do “todo mundo faz” pode lhe por na mão do mundo e na contramão das coisas de Deus.

 

A escolha de Deus pra sua vida, como era pra vida de Jonas, pode não ser o mais cômodo, mais fácil, mais simples ou comum, mas será bom, agradável e perfeito, pois se baseia na Sua vontade.

 

Escolha hoje viver a vontade de Deus em todas as questões de sua vida.

 

Soraya de Lima Junker



Escrito por Projeto Cenáculo às 15h10
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Tá Vivo? Louve!!!

Certa vez ouvi de um pastor amigo o testemunho de um empresário, que na tentativa de de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com uma nação fechada para o mesmo, comprou um time e deu o nome de Aleluia. Então os narradores diziam: Aleluia entra em campo; gol do Aleluia; Aleluia vence o jogo.... A televisão falava Aleluia, o rádio transmitia jogo do Aleluia...

O que pareceu uma jogada de marketing, uma estratégia inusitada, engraçada, de citar Deus para uma nação, fica como exercício de fé para aqueles que creem. Louvado seja Deus em todo tempo, em todo lugar. A quem louvamos? Louvamos ao Senhor, nossa fonte de vida e inspiração; nossa motivação maior; nossa razão de existir.

Quando falamos de louvor, surge uma variedade de entendimentos, experiências, visões e porque não dizer, divisões. Na caminhada da Igreja há muitas coisas que incomodam no “louvor” (leia-se louvor o momento de cânticos do culto), pensando nessa direção, veio ao meu coração o desejo de discernir o que incomoda a Deus no louvor, afinal, ele é nossa fonte e alvo.

O que incomoda Deus no louvor?

Não é o som alto, como muitos se incomodam no meio da Igreja, mas o barulho de corações vazios de amor, que retinem como címbalos ou bronze que soa. Que parecem expressivos diante dos homens, mas não refletem o caráter Daquele que É.

Não é o estilo de música, mas o estilo de vida de alguem que não opta pela santidade sabendo ser essa a vontade expressa do Pai. “É a vontade do Pai a vossa santificação”( I Ts 4.3); o estilo de vida que não condiz com a nova vida em Cristo Jesus.

Não é quantidade de cânticos, mas a quantidade de declarações não verdadeiras, que não passam de meras repetições não vividas nem desejadas, pois são fruto do mero conhecimento da mente, mas que não fazem eco no coração.

Não é o tempo que demora, mas a demora em reconhecer os seus feitos e a necessidade contínua de que sem Ele nada podemos fazer e que é continuar crescendo em conhecimento, não da letra, simplesmente, mas do espírito; crescendo em Graça.

Não são as expressões ausentes, se não, no coração. Mãos que se levantam, mas não com o coração, como diz o profeta Jeremias em suas lamentações: “ levantemos o coração juntamente com as mãos (Lm 3.41)

Irmãos e irmãs, a palavra de Deus registra a experiência de homens e mulheres que entenderam a dinâmica do verdadeiro louvor. Do sepulcro não sai louvor, somente os vivos te louvam...todo ser que respira louve ao Senhor.

Pequenas grandes diferenças entre vivos e mortos:

Os mortos não mexem sequer um dedo - os vivos se movem diante do Trono;

Os mortos não abrem mais a boca - os vivos falam daquilo que ouvem e tem visto;

O mortos não andam, estão parados – os vivos andam em direção ao mais;

Os mortos não se comprometem mais – os vivos namoram , noivam e casam....se comprometem.

Os mortos não respiram mais – os vivos respiram continuamente e por isso....continuamente louvam, exaltam e engrandecem Aquele que É, era e há de vir.

Você tá vivo....então louve!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Soraya de Lima Junker – Ministério Toque de Poder



Escrito por Projeto Cenáculo às 22h03
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Intercessores se exercitam na Glorificação

 

 

“...e no seu templo cada um fala da sua glória.” Sl 29.9

“...Enquanto isso, no seu Templo, todos gritam: Glória a Deus!” Sl 29.9  (TNLH)

 

Dias atrás, ministrando a um pequeno grupo de novos na fé, falava-lhes sobre Louvar. Sem querer cair no mero “conceitualismo”, dei-lhes algumas definições acerca do louvor.

 

O que é louvar?

- è reconhecer os feitos das mãos do Senhor, seus atos de justiça e amor; prestar atenção nas suas muitas realizações; é testemunhar acerca de seus feitos; é exaltar as Suas obras!

 

Falei a eles que tivemos a alegria de receber uma parte da família nas férias, e num momento de passeio, uma sobrinha chamou a atenção de sua filha Débora para uma bela quaresmeira, que já estava em flor, ao que a pequena respondeu sem titubear: Glória a Deus!

 

Como podemos louvar?

Podemos louvar ao Senhor orando, cantando, testemunhando, ou simplesmente vivendo uma vida pautada na manifestação do fruto do espírito, pois quando o fazemos, estamos dizendo a Jesus: Sua promessa se cumpriu! Pois Ele disse que enviaria o consolador, e somente pela Sua presença em nossas vidas podemos frutificar em amor, alegria, paz.....

 

Quando, por exemplo, sentimos vontade de reagir de uma forma não aprovada, e conseguimos usar o domínio próprio, estamos louvando a Jesus, dizendo: O Senhor disse e o senhor cumpriu, Glória ao Senhor!

 

Quando devemos louvar? Em todo o tempo, diria o salmista com a convicção de quem entendeu que pode louvar pelo que já viu e por aquilo que crê que ainda verá dos feitos de Deus. O Justo viverá pela sua fé. Fé é certeza daquilo que esperamos e convicção do que não vemos...ainda. É possível louvar pelo que já vimos, ouvimos, vivemos, mas também é possível louvar por aquilo que cremos que veremos, ouviremos e viveremos.

 

- Devemos louvar em tempo de sequidão - Na sua caminhada no deserto, Nm 21.16 e 17 diz que o povo clamou diante de um poço seco, pedindo para brotar;

 

- Devemos louvar em tempo de luta - à semelhança de Josafá, podemos colocar os cânticos, as orações, o louvor adiante de nossas preocupações e vermos o Senhor manifestar vitória;

 

- Devemos louvar em tempo de prisão (da mente, da alma, do coração) à semelhança de Paulo e Silas na prisão. Depois de açoitados, algemados e encarcerados, por volta da meia noite, antes que houvesse manhã, quando o tempo parece se esgotar, Paulo e Silas oravam e cantavam um cântico. Então um terremoto abalou as estruturas do lugar, quebrou as algemas e abriu as portas.

 

Sabe amados e amadas, às vezes estamos pedindo para o senhor abrir portas sobre nós ou nossos amados, quando ainda há presença de algemas. Vamos louvar, e o abalável será abalado, as algemas serão quebradas, então portas se abrirão...pois haverá um povo preparado para usufruir da liberdade!

 

Sugiro a você, intercessor/a, uma semana de Glorificação ao Senhor. Reconheça seus feitos em sua vida, Testemunhe o Seu favor....Exalte o seu Poder! Somos Templo do Espírito, santuário de Deus, e no Seu templo tudo diz: Glória!

 

Orando, sempre,

 

Soraya de Lima Junker



Escrito por Projeto Cenáculo às 15h32
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Compromisso - um movimento de coração e mãos

 

Tens tu sincero o coração para comigo, como o meu é para contigo?” 2 rs 10.15-16

 

Compromisso é palavra de ordem na agenda, no cotidiano da maioria. Só que nós associamos compromisso aos feitos das mãos e não do coração. Compromisso é um movimento de coração e mãos.

 

Ao reler o breve relato do encontro de Jeú e Jonadabe, enxerguei compromisso numa perspectiva diferente. Era Jeú o décimo Rei de Israel, zeloso para com o Senhor, que deu cabo de Jezabel, destruiu a casa de Acabe e estava a caminho de Samaria, desejoso de matar todos os adoradores de Baal quando se encontrou com Jonadabe (filho de Recabe, que gerou um povo zeloso, moradores de tendas, não dados ao vinho) fez esta pergunta: Tens tu Sincero coração para comigo? Uma chamada inicial ao compromisso. Compromisso como fruto de:

1-       Encontro - é preciso que haja encontro para que brote o compromisso. Encontro com Deus. Não é “ficar” com Deus – gozar de sua presença, alegrar-se nela, cantar, orar, se sentir bem sem que isso esteja presente e fazendo a diferença no seu dia a dia; Tem gente “namorando” com Deus, encontros esporádicos, conversa, mas é pouco; Tem gente “noivando” com Deus – partilhando sonhos, esperanças, expectativas.....mas encontro com Deus aponta para algo mais...é preciso “Casar” – firmar aliança, dividir responsabilidades sobre as decisões, partilhar a intimidade;

2-       Conhecimento – ao perguntar se o coração era sincero, sem cera, Jeú buscava  conhecer o coração de Jonadabe. Precisamos conhecer mais que os feitos das mãos, precisamos conhecer o coração de Deus, do irmão, da irmã e o nosso. A Bíblia diz que do coração procedem as fontes da vida...a origem, o nascedouro das ações, planos projetos...está no coração. Conhecer o coração é perscrutar as intenções;

3-       Coração alimentado - o que alimenta o coração move a mão. O coração de Jonadabe estava alimentado pela expectativa de ser útil. O que tem alimentado nosso coração em relação a Deus, a Igreja e aos irmãos e irmãs? Se o que alimenta nosso coração procede do alto, nossas ações manifestarão as coisas lá do alto, mas se o que alimenta nosso coração são sentimentos contrários, nossas mãos produzirão figos verdes, amargos, impróprios.

 

Minha pergunta é: Seu coração está envolvido com o que você está fazendo pra Deus? Nas nossas muitas realizações é preciso reconhecer quando nosso coração está envolvido. Deus não quer apenas nosso cantar, nossa mão, nosso corpo presente...quer o nosso coração. Estamos comprometidos com algo quando nosso coração está envolvido, não só a nossa mente e as nossas mãos.

 

Amado/a intercessor/a, alimente o seu coração com Palavra de Vida e reproduzirá vida em suas ações.

 

Amo vocês,

 

Soraya de Lima Junker

Ministério Toque de Poder

 



Escrito por Projeto Cenáculo às 22h18
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Um abraço

Habacuque 1-3

 

 

Quase nada se pode afirmar sobre o tempo ou o local onde Habacuque viveu; de sua mensagem e livro, uma declaração: profeta menor; seu nome, cujo significado é abraço, revela um pouco de sua personalidade na sua experiência registrada no livro que leva seu nome – flexibilidade.

 

Ser flexível é identificar-se com o trigo, que sendo semelhante ao joio em aparência, possui uma haste que lhe possibilita curvar-se quando o vento sopra.

 

Ser flexível é chamar para o diálogo – O profeta vai pra diante de Deus e rasga o coração. Quanta luta, quanta maldade diante de seus olhos, então ele pergunta: Até quando, Senhor? Ele está disposto a falar, mas está disposto a ouvir também;

 

Ser flexível é subir na torre e esperar. Reconhecer que há um tempo para cada propósito debaixo dos céus; é abrir mão de seu tempo para viver o tempo de Deus.

 

Ser flexível é se render, não diante das circunstâncias, mas diante de Deus; reconhecer que ainda que as circunstâncias não se alterem diante de seus olhos é em Deus que espera.

 

Estamos no início de um novo ano eclesiástico. Mente cheia de idéias e projetos; muitos desafios, possíveis mudanças....é preciso flexibilidade, por isso, alargue as costas, estenda os braços, acolha o novo de Deus.

 

Um Habacuque (um abraço) pra você,

 

Soraya de Lima Junker

Ministério Toque de Poder

 



Escrito por Projeto Cenáculo às 20h22
[] [envie esta mensagem
] []


 

 
[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]